Coronavírus: Análise dos Dados em Santarém

Coronavírus: Análise dos Dados em Santarém

- 1 de maio de 2020

Atualizado em

Compartilhe!


Este artigo é a continuação de uma séria de artigos que vêm sendo desenvolvidos pelo Professor Mestre Clayton Santos, que fazem uma análise e projeção dos dados e da estimativa de casos de coronavírus e óbitos. Os artigos anteriores fizeram projeções para o Brasil e para o Estado do Pará. Análises vem sendo feitas a partir do dia 01/04/2020. Para visualizar a análise feita em 14 de abril, clique aqui. Uma segunda análise foi feita em 24 de abril, para lê-la, clique aqui.

Agora, veja os dados sobre o coronavírus em Santarém, segundo análise dos dados com base na divulgação do dia 29/04. Até a presente data, foram registradas 7 mortes provocadas pela Covid-19 e 83 casos confirmados.

A tabela a seguir apresenta uma análise de incremento no número de casos e mortes nos últimos 5 dias. Ao comparar a taxa incremental de óbitos no Pará, observa-se que do dia 25/04 para o dia 26/04, o incremento foi bastante elevado, aproximadamente 15%, muito elevado se comparar com a taxa incremental no Brasil. Em Santarém, a taxa incremental de casos é um fator assustador.

Tabela 1: Análise Incremental dos últimos 5 dias (Santarém).
Tabela 2: Análise Incremental dos últimos 5 dias (Pará).

Os gráficos 1 e 2 demonstram as taxas de letalidade do novo coronavírus em Santarém e no Pará. A taxa de letalidade de uma doença é dada pela razão entre a quantidade de óbitos e o número total de infectados. O resultado é uma porcentagem que indica a gravidade de uma doença. Em Santarém, essa taxa é de aproximadamente 8,4% e no Pará, aproximadamente 5,6%.

Gráfico 1: Análise da taxa de letalidade em Santarém.
Gráfico 2: Análise da taxa de letalidade no Pará.

Importante ressaltar alguns fatores que podem ser apontados como cruciais para a elevação dessa taxa, tais como: Baixa quantidade de testes feitos; No Brasil, por enquanto, só tem testado os casos hospitalizados, os de clínicas sentinelas e os profissionais de saúde, o que acarreta subnofiticação de casos; Além da ausência de testes para todos no país, a sobrecarga no sistema de saúde leva esse número para cima.

Em se tratando das análises de previsão do cenário da doença no Brasil e no Pará, tem-se o que se apresenta abaixo. Ressalta-se que os dados de casos no Brasil são avaliados a partir do dia 26/02/2020, ou seja, surgimento do primeiro e, os dados de óbitos são avaliados a partir do dia 17/03/2020. Em Santarém, os dados de casos e óbitos são avaliados a partir do dia 01/04/2020. O gráfico 3 exibe a validação do modelo de predição.

Gráfico 3: Validação do modelo de predição.

As análises buscaram prever o cenário da doença no Brasil, Pará e Santarém. Para isso, foi utilizado um método de regressão polinomial, retornando a respectiva previsão da entrada fornecida. Em seguida, foram criados gráficos de avaliação para verificar a precisão. Em Santarém, o grau polinomial 6 obteve o melhor resultado para ajuste aos dados. Fator preocupante se comparado às análises feitas no Pará e Brasil. O grau polinomial tem relação direta com a taxa de crescimento de casos e inclinação da curva. No Brasil e no Pará, o grau polinomial foi de 4.

Gráfico 4: Previsão de Casos em Santarém para os próximos 7 dias.

A tabela abaixo descreve detalhadamente a predição de casos em Santarém.

Tabela 3: Detalhamento da previsão de casos em Santarém para os próximos 7 dias.

Diante do cenário apresentado e da evolução de casos, o município de Santarém pode alcançar aproximadamente 500 casos daqui há 7 dias. Um cenário como este não é desejável ao lugar que é pólo da região Oeste do estado e, além disso possui recursos limitados para o combate a esta pandemia. Cenário que se agrava quando parte da população ainda duvida do perigo que ronda nossa sociedade e insiste em andar desprotegido, fazendo aglomerações e negligenciando as recomendações das autoridades de saúde.

Doutorando em Ciências Ambientais na Universidade Federal do Oeste do Pará – Ufopa. Mestre em Informática na Universidade Federal do Amazonas – UFAM (2012). Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Reconhecimento de Padrões, atuando nos seguintes temas: Aprendizado Profundo, Aprendizagem de Máquina, Big Data, Processamento Digital de Imagens e Segurança da Informação. Atualmente é professor no curso de Sistemas de Informação (CEULS/ULBRA) e CST em Redes de Computadores (IESPES).

Leave a Comment

Entrar com uma Rede Social